7 alimentos que podem matar o seu cachorro silenciosamente e você certamente não sabia

7 alimentos que podem matar o seu cachorro silenciosamente e você certamente não sabia

Os cachorros não sabem o que pode lhe fazer mal ou não, por isso costumam comer qualquer coisa que você der para ele. Por causa disso, não cabe ao animal entender o que pode prejudicar a sua saúde, mas você tem obrigação de saber e evitar.

Quando você oferece sua comida favorita para ele, será que está mesmo oferecendo um carinho ou está colocando a saúde do seu pet em risco? Pense nisso antes de tentar fazer o seu amigão feliz pela boca, pois isso pode se tornar crucial para a saúde dele.

Com o passar dos anos o tipo de comida que oferecemos para os cachorros mudou muito. Antigamente, a alimentação desse tipo de animal era feita com muita carne, por isso eles consumiam altos números de proteína, o que poderia oferecer desnutrição, perda de pelos, fraqueza e metabolismo desbalanceado.

O resultado de alguns alimentos que consumimos pode ser totalmente diferente em nossos cachorros, oferecendo riscos letais para o seu cão. Pensando nisso, reunimos alguns alimentos que ameaçam a saúde e vida do seu companheiro, juntamente como os problemas que podem causar e os sintomas oferecidos, acompanhe:

Bacon

Inúmeras pessoas apreciam o sabor do bacon, e logicamente que seu cão também vai gostar, porém esse tipo de alimento não deve ser repartido com o seu amigo de quatro patas. Comidas ricas em gordura como o bacon, podem causar graves inflamações nos órgãos internos do seu animal, como no pâncreas. Isso certamente pode trazer problemas variados na absorção dos nutrientes e também na digestão do animal, por isso é melhor evitar e garantir a saúde do seu pet.

Cebola e alho

A cebola e o alho são temperos clássicos, porém na alimentação do animal eles devem ser totalmente evitados. Quando seu pet consume alimentos temperados com o alho e a cebola, isso pode causar danos nas hemácias (as células vermelhas do sangue), fazendo com que seu cachorro fique menos ativo e fraco. Se o consumo for demasiado, o animal poderá apresentar problemas mais graves, exigindo uma possível transfusão de sangue.

Leite

Quando filhotes, os cachorros necessitam do leite materno para sobreviver, mas depois que crescem eles podem se tornar intolerantes à lactose. O leite tem açúcares e o organismo do cão não consegue processar o alimento com facilidade, fazendo com que ele apresente diarreia e outros problemas gastrointestinais. Mesmo não oferecendo nenhum risco instantâneo a vida do cão, o consumo diário pode oferecer bactérias e trazer doenças fatais.

Chocolate

O chocolate é um alimento delicioso, mas por ter teobromina e cafeína, que fazem parte da família da metilxantinas ele pode afetar severamente a saúde do seu cão. Quando ingerido pelo animal, o alimento pode provocar vômitos, dores abdominais, tremor muscular, agitação, desidratação, alta temperatura corporal, ritmo cardíaco irregular e, por fim, morte. Com tantos riscos que o alimento oferece é melhor você evitar, não é mesmo?

Maçã

O alimento não é totalmente tóxico para o animal, porém o problema está localizado no miolo da fruta, e é nessa parte que se encontra o glicosídeos ciamogênicos, a toxina que pode causar dificuldades na respiração, tontura e até mesmo o coma do pet.

Pão

É muito comum a pessoa dar um pedacinho de pão logo de manhã para o seu animal, porém todo tipo de massa fermentada não deve fazer parte da alimentação dos cães. Isso porque as massas podem continuar o seu processo de fermentação no organismo do cão, se tornando algo totalmente toxico e prejudicial para a saúde deles. Além do álcool produzido durante a digestão, a fermentação também pode ampliar a massa dentro do intestino ou estômago do animal, oferecendo a produção de gases, ruptura dos órgãos e dores insuportáveis.

Cafeína

O café é uma bebida muito apreciada por todos nós, porém não deve ser introduzido na alimentação do seu cão. A cafeína é uma matilxantinas, um composto químico que é capaz de causar grande excitação no sistema nervoso do animal, podendo causar palpitações cardíacas, vômitos, hiperatividade e infelizmente a morte.

Achou as informações úteis? Comente: 

Veja também: Estudo comprova que temos forte tendência a escolher amigos geneticamente parecidos conosco

 (Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? COLABORE COM O AUTOR)