Antes de ser considerado um gênio, Einstein apresentava problemas intelectuais e na escola

Antes de ser considerado um gênio, Einstein apresentava problemas intelectuais e na escola

O gênio Albert Einstein nasceu na cidade de Ulm, localizada na Alemanha, no dia 14 de março de 1879. Ele deu inicio as suas escrituras cientificas a partir de 1905, aos 26 anos de idade, se voltando aos estudos da física clássica para expor as suas teorias. Em especial, a Teoria Geral da Relatividade, que acarretou grande revolução na compreensão dos cientistas de todo o mundo. Depois dele, conceitos como tempo, espaço, energia e massa não foram mais a mesmas.

Por suas incríveis descobertas, Einstein recebeu o Prêmio Nobel de física do ano de 1921 e fez com que seu nome se tornasse sinônimo de inteligência. Ele também se tornou conhecido mundialmente por seus conceitos pacifistas e apoio ao movimento dos direitos civis. Mas, adverso do que muitos acreditam, ele nem sempre foi aquele aluno exemplar em sala de aula.

Ele apresentava dificuldades na escola.

Até os três anos de idade, ele não tinha dito uma única palavras e já demostrava grande problema na fala. Aos nove anos, ele ainda continuava mostrando sérias dificuldades ao se expressar, o que causou preocupações em seus pais. Durante muitos anos, alias, por um erro de avaliação de seus boletins escolares, acreditou-se que ele tivesse sido um estudante insignificante.

Quando, mais tarde, foi apresentado a uma reportagem afirmando que ele tinha sido um grande fracasso nas aulas de matemática quando estudava em uma escola primaria, Einstein desmentiu a historia e disse: “Antes mesmo dos meus 15 anos eu já tinha dominado o cálculo integral e diferencial”. E foi com essa idade que o gênio deixou de lado a escola e se mudou da Alemanha para não participar do serviço militar.

Porém, na sua primeira tentativa de entrar para a Escola Politécnica de Zurique, na Suíça, ele foi desaprovado no vestibular. Ele estava com 16 anos – dois anos a menos do que a idade padrão para começar o ensino médio. Depois de um ano, ele se preparou e finalmente conseguiu passar nas provas de aprovação.

Mesmo assim, ele continuou sendo visto como um aluno rebelde, faltando às aulas, se dedicando e lendo o que não fazia parte do currículo e fazendo questão de irritar seus professores com perguntas impertinentes. Formou-se no ano de 1900, com a ajuda de seu amigo Marcel Grossmann, aluno considerado correto, e que lhe emprestava anotações de todas as aulas.

Levou nove anos para conquistar um emprego na academia.

Einstein mostrou seu brilho durante vários anos na Politécnica de Zurique, mas sua personalidade complicada e propensão para faltar às aulas fizeram com que todos os seus educadores lhe abonassem poucas recomendações sobre a sua graduação no ano de 1990. Ele passou dois anos depois de formado buscando uma posição acadêmica antes de se colocar em um escritório suíço de patentes em Berna.

O trabalho se tornou algo excelente para ele, pois ele conseguia terminar seus trabalhos em poucas horas e podia passar o resto do dia escrevendo e realizando pesquisas. No ano 1905, popularmente conhecido como o seu “ano milagroso”, o estudioso conseguiu divulgar quatro artigos revolucionários em que introduziu a sua conhecida equação E=mc2 e a teoria da relatividade especial.

Enquanto as descobertas marcaram o começo de Einstein para o mundo da física, ele não conseguiu colocação até 1909, quase uma década depois de ter finalizado seus estudos. O físico Banesh Hoffman, que no ano de 1972 escreveu uma importante biologia sobre o cientista, lembrando-se das primeiras palavras ditas por Einstein quando ambos se encontraram pela primeira vez.

Einstein pediu para que ele divulgasse suas ideias e acrescentou dizendo: “Mas, por favor, explique devagar, pois carrego grandes dificuldades em entender quando alguém fala rapidamente”.

Veja também: Solteirice e felicidade: estudo confirma que é melhor estar só do que mal acompanhada

 (Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? COLABORE COM O AUTOR)