Artista faz esculturas de livros com suas próprias páginas

Artista faz esculturas de livros com suas próprias páginas

A artista Su Blackwell é uma ilustradora de livros. Pode parecer até bem usual, mas a artista transforma livros em cenas vivas. Isso pois a arte dela é diferente, ela usa as próprias páginas dos livros para fazer as esculturas em miniatura. Corta, dobra, cola, fazendo desenhos tridimensionais para transparecer as cenas e as emoções dos livros.

Vamos ver algumas dessas obras de arte:

“O sol é para todos” – Harper Lee

1

Podemos ver de perto, a riqueza de detalhes da obra, mostrando o quão atenciosa e talentosa o artista é.

2Usando uma iluminação estrategicamente colocada, as casas lá dentro ao mesmo tempo parecem calorosas e solitárias. O artista prefere cenas de lugares solitários, de florestas, zonas costeiras, casas isoladas, e de contos que remetam a fantasmas e contos de fadas. As vezes ela usa uma cor mínima para dar um detalhe, mas na maioria das vezes usa somente o papel cru. As vezes ela usa também fios para deixas os objetos flutuando.

“The Stork Wife” – Conto Japonês

3

“A Ilha do Tesouro” – Robert L.

4

“O pequeno príncipe” – Antoine de Saint-Exupery

5

“Chapéuzinho Vermelho” – Charles Perault

6O seu trabalho pode parecer um pouco perturbador, mas é porque o artista quer que seja assim. Ela quer que sua arte demonstre toda a emoção das cenas retratadas. Ela explica que “Eu tendo a personagens meninas, colocando-as em situações assombrosas, frágeis, expressando a vulnerabilidade da infância e do próprio personagem”. Explica ainda que “seu trabalho possui uma melancolia que só as paginas dos livros podem proporcionar”.

“O último Unicório” – Peter S. Beagle

7

“O Mestre e a Margarida” – Mikhail Bulgákov

8

“Rebelião das Trevas” – Susan Cooper

9

“As flores silvestres das ilhas britânicas” – David Streeter

10Alguns deles, como este aí de cima, não são uma celebração de sentimentos, e sim um espetáculo para os olhos pelas suas cores. Como o artista faz isso usando os livros, muitas pessoas podem achar que é um desperdício de material. Mas os livros que o artista usa, é de segunda mão, e nunca itens de colecionador ou edições raras. Ela lê o livro até duas vezes para conseguir capturar exatamente a emoção que ele passa. Ela diz que usa esse meio delicado de escultura, para mostrar a fragilidade da vida, e como somos vulneráveis.

“Matilda” – Roald Dahl

11

Você pode conhecer mais desta maravilhosa artista em seu site, e até mesmo comprar seus trabalhos por lá! Seria incrível ter um destes no seu quarto, não?

Fonte: MyModernMet.com

Confira também: Tatuadora brasileira cobre cicatrizes de pessoas e as ajuda a superar seus traumas