Conheça a “Ilha Canibal” criada pela União Soviética em 1933

Conheça a “Ilha Canibal” criada pela União Soviética em 1933

Apesar de ser aliada dos EUA na segunda guerra mundial, não pode se esquecer que a União Soviética cometeu grandes atrocidades, algumas com seus próprios cidadãos. Uma delas, está acima de muitas outras atrocidades das quais já ouvimos falar pelo mundo afora, e vai te fazer pensar na capacidade do ser humano em ser cruel.

Em 1933, Stalin permitiu a deportação de 6 mil pessoas do seu próprio povo para uma ilha obscura na sibéria ocidental (conhecida como ilha canibal), sem qualquer alimento ou suprimento. 4 mil pessoas morreram  nesse lugar, e os sobreviventes, só conseguiram com o canibalismo.

Sete anos antes da Segunda Guerra Mundial, o governo de Stalin bolou um plano para tirar as pessoas indesejáveis de circulação, e soltá-los em uma ilha;

1

Muitas destas pessoas eram pobres, sem tetos, ou deficientes, ou seja, qualquer pessoa que não fosse do padrão para seu governo perfeito, ia ser deportada;

2O ponto da missão, foi “colonizar” a terra que não havia sido colonizada antes, porém, não havia motivos para tanto, uma vez que se tratava de um lugar gelado e sem possibilidade de sobrevivência.

6 mil pessoas foram forçadas a ir para a ilha, sendo que, só no caminho, 27 pessoas morreram de fome no navio;

3Para os coitados que foram forçados a ir para o tenebroso lugar, foi dado apenas pão bolorento para o sustento deles.

Na primeira noite, 300 pessoas morreram em uma tempestade de neve. E depois, eles foram abastecidos com farinha e pão adormecido, sendo que houve uma grande confusão na distribuição do alimento, e os guardas dispararam contra as pessoas;

4Os guardas foram muito miseráveis, e tratavam as pessoas com muita rigidez, matando sem pensar duas vezes.

Não demorou muito para que as pessoas começassem a ficar com fome, e assim, atacar os corpos dos mortos para comer a carne. As pessoas doentes, feridas e debilitadas, eram caçadas para servirem de alimento, muitas vezes a carne era consumida crua;

5Muitas pessoas tentaram escapar em balsas improvisadas, mas não havia nada perto, exceto terras miseráveis por perto. Fora que, muitos morreram afogados, ou congelados pelo frio cortante que lá fazia.

Por incrível que pareça, a União Soviética decidiu mandar mais 1.200 pessoas para a ilha, e relatos contam que o barco foi depredado e eles foram comidos por hordas de canibais ao desembarcarem na ilha;

6Os comunistas destruíram toda a documentação sobre a ilha, para esconder as mais de 4 mil mortes. Também matavam quem falava sobre o caso.  Somente em 2002 que o caso veio a conhecimento público.

Fonte: creepybasement.com

Confira também: Bonsai, o filhote que conquistou o mundo sendo metade buldogue – literalmente