Conheça os 10 caçadores de bruxas mais perversos da história

Conheça os 10 caçadores de bruxas mais perversos da história

Todo mundo já ouviu falar ou já assistiu um filme sobre caçadores de bruxas, certo? Sempre há uma fogueira e uma bruxa sendo queimada pelas suas práticas. Bom, mas algumas pessoas não sabem é que eles realmente existiram, e fizeram coisas horríveis a pessoas inocentes somente para “limpar” a terra em nome da igreja.

Aqui estão listados os 10 piores e perversos caçadores da história:

1) Matthew Hopkins

1Ele era um inglês que era advogado antes de trabalhar como caçador de bruxas, o que fazia para tirar um dinheiro extra. Ele era conhecido em torturar as supostas bruxas em priva-las do sono, não as deixando dormir.

2) Pierre de Lancre

2Acusações de feitiçaria eram comuns na França por volta dos anos 1600. Ele foi nomeado pelo rei da França como um juiz para julgar os casos de acusação de feitiçaria. Em 40 meses ele mandou executar 80 pessoas por bruxaria.

3) Johann Von Schonenberg

3Ele foi um arcebispo. Ele trabalhou na maior caçada a bruxas da história. Em 10 anos, ele registou mais de 368 execuções.

4) Peter Binsfeld

4Foi um teólogo alemão no século 16, e pensavam que era um especialista em bruxaria. Até escreveu livros sobre, e bastava uma acusação e já começava a tortura. Ele também gostava de torturar crianças.

5) Alonso De Salazar Frias

5Alonso também era chamado de Advogado das Bruxas, pois apesar de ser contra a bruxaria, ele achava que não era passível de pena de morte. Ele achava que não era possível se provar que era uma bruxa.  Durante este tempo no tribunal de inquisição, 7.000 pessoas foram acusadas, mas apenas 31 foram condenados e 11 foram executados.

6) Balthasar Von Dernbach

6Foi um monge beneditino no século 16. Trabalhava para forçar as pessoas a se tornarem católicas. Condenou mais de 200 mulheres por serem “bruxas”.

7) Nicholas Remy

7Remy tem a fama de ser o caçador de bruxas mais produtivo da história. Ele foi um magistrado francês e condenou a execução de mais de 900 mulheres. Ele trabalhou como advogado e, em seguida, historiador, mas seu fascínio com a feitiçaria veio depois que seu filho morreu. Ele acreditava que havia sido amaldiçoado por um mendigo.

8) Roger Nowell

8Foi também um magistrado Inglês, e trabalhou em acusações de feitiçaria. Ele sabia que o rei odiava bruxas e condenou muitas mulheres só para chegar perto do rei.

9) Sebastian Michaelis

9Ele foi um inquisidor e condenou 18 mulheres para a morte nos anos de 1600.

10) Georg Scherer

10Um caso de bruxa queimada na Áustria.  Elizabeth Plainacher foi uma mulher de 70 anos de idade, que estava caminhando sua neta Anna. Quando ela começou a ter convulsões. Um orador católico chamado Georg Scherer, acusou Elizabeth de azarar Anna. Elizabeth foi torturada, confessou ser uma bruxa e foi condenada à morte.

Fonte: listverse.com

Confira também: 9 labirintos que vão te deixar de queixo caído