Você não é preguiçoso, você tem QI alto, sugere estudo

Você não é preguiçoso, você tem QI alto, sugere estudo

extra_large-1471001105-cover-image

Sonhadores e amantes do sofá, animem-se! Um novo estudo revelou uma correlação entre a preguiça e alto QI, o que significa que ficar encarando o espaço ou evitando a academia pode significar que você não está apenas sendo preguiçoso, você está demonstrando sua inteligência.

De acordo com o estudo publicado no Journal of Health Psychology (Diário de Saúde Mental), pessoas com um alto QI se entediam mais facilmente, levando-as a gastar mais tempo pensando – então, mesmo que eles pareçam não estar fazendo nada, eles estão ativamente engajados em seus pensamentos.

Por outro lado, pessoas que são ativas tendem a participar em atividades físicas para se ocupar quando estão entediados e para evitar pensamento de alto nível.

Os pesquisadores, da Florida Gulf Coast University, fizeram os estudantes realizar um teste psicológico para identificar aqueles que expressavam um desejo de pensar demais e aqueles que preferiam evitar qualquer coisa muito cansativa para a mente, avaliando quão fortemente eles concordavam ou discordavam de afirmações como: “Eu realmente gosto de uma tarefa que envolva elaborar novas soluções” e “Eu penso somente o quão forte seja necessário”.

Eles então pegaram 30 “pensadores” e 30 “não-pensadores” e colocaram neles um monitor de atividades físicas por uma semana.

Os resultados revelaram que o grupo pensante era muito menos ativo de Segunda a Sexta do que o grupo não-pensante, com aqueles que concordaram com afirmações que não exigiam um alto nível de pensamento participando de um nível muito mais alto de atividade física. Contudo, não houve diferença entre os grupos durante os finais de semana, algo que os pesquisadores não foram capazes de explicar, embora eles admitam que o número de amostras foi pequeno e o estudo de pouco tempo significam que mais pesquisa é necessária para desenhar uma correlação conclusiva.

Todavia, se você está se sentindo convencido de que a sua preguiça é sinal de inteligência, o que te deixa ocupado demais pensando em coisas profundas pra se exercitar ou ser ativo, o autor principal do estudo Todd McElroy tem uma visão diferente.

“Em último caso, um fator importante que pode ajudar os indivíduos mais pensantes a combater seu baixo nível de atividades físicas é a percepção”, disse o sr. McElroy. “Percepção de sua tendência a ser menos ativo, ligada à percepção do custo associado com o sedentarismo. As pessoas mais pensantes devem, então, escolher se tornar mais ativas durante o dia”.